As Marcas e comunicação na blogosfera

6 11 2009

As novas plataformas de comunicação on line, nomeadamente Facebook, Twitter ou outras como Youtube, Flickr, tornaram-se de repente para os Marketeers, marcas um local desejável ou desejado de estar e comunicar, se é certo que o ritmo de crescimento das mesmas tem sido extraordinário e alucinante, e com investimentos relativamente baixos (comparados com a comunicação tradicional) consegue-se criar uma página no facebook, um grupo, ou conta de twitter, o certo é que para ser feito e bem feito necessita de algum engenho, mestria.

Explico Porquê, e este claro está é o meu ponto de vista.

Em primeiro lugar tem de estar no ADN da marca a comunicação com o seu público-alvo, e quando falo de comunicação, falo de conversar, ouvir, responder. Não adianta uma marca que não está habituada a falar com os seus consumidores (of-line), que não tem isso incorporado na sua filosofia, de um momento para o outro vir para um novo canal (on-line) tentar falar com as pessoas. É um erro crasso, a marca encontra-se mais exposta e tem de estar disposta a ouvir, falar, ser falada. Se já o tinha feito, se já estava habituada a fazê-lo de uma forma bem-feita, através de call centers, sistemas de mails, postos de atendimento, … de uma forma muito natural e coerente vai consegui-lo fazer no on-line.

Em segundo lugar, se o vai fazer, tem de ter recursos internos capazes de responder e comunicar com os consumidores, ou não tendo que entregue a empresas capazes de incorporar essa valência e responder em nome da marca ou através da marca. A comunicação feita tem de parecer ou ser natural, pois o que os utilizadores esperam destas novas plataformas é comunicação autêntica, mais humanizada. Quando coloco um post dirigido numa página de uma marca, no limite espero que quem me esteja a responder seja alguém do marketing, que me está a ouvir e interage comigo.

Eis um exemplo que ilustra isto, um consumidor fã de uma marca conhecida de cerveja, pergunta desde a Polónia, onde consegue adquirir a mesma, até hoje ainda se encontra á espera da resposta.

As marcas, como diria um grande amigo meu, têm de estar dispostas a ter 2 orelhas e uma boca, para ouvirem o dobro daquilo que falam.

Pode-se tornar contraproducente a existência destes canais quando mal feitos, e os fãs, consumidores, amigos de … podem tornam-me não fãs, não consumidores ou não amigos.

Bookmark and Share

Anúncios

Acções

Information

2 responses

6 11 2009
Jorge Cunha

Gostei do artigo, especialmente das “duas orelhas e uma boca”.

28 11 2009
Sofia

Olá, sim, concordo com o que escreves, também estou no Facebook e Twitter e encontro mais feedback por parte de pessoas que me acompanham no blog; penso que hoje em dia poderia ser interessante o próprio Marketing pôr em contacto as opiniões dos diferentes participantes, tal mesa redonda, com vista a um brainstorming.
Por último, parabéns por este blog, não o li na integra, mas penso que será um espaço a que deverei regressar mais vezes!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




%d bloggers like this: