E se os partidos Políticos se comportassem como Marcas

8 03 2010

Deve ser frustrante para quem se encontra á frente dos partidos políticos, perceber que de ano para ano, perdem apoiantes, simpatizantes, militantes, e outros ….antes.

Num artigo recente que li no jornal i, onde se falava no afastamento ideológico das pessoas quer da vida política e suas ideias, quer da religião, mostrava o grande fosso que existe entre aquilo que é proposto (partidos, ideologias, religiões, …) e aquilo que as pessoas verdadeiramente querem.

Comecemos pelo seguinte, como é possível haver tantos partidos políticos (nada mais nada menos que 16 nas eleições legislativas de 2009), num rectângulo tão pequeno como Portugal, e mesmo assim parecem não chegar, a adesão maciça á abstenção, 40,3%, o valor mais elevado nestas eleições na última década (1991 – 32,2%; 1995 – 33,7%; 1999 – 38,9%; 2002 – 38,5%; 2005 – 35,7%; 2009 – 40,3%), dados provenientes da CNE (Comissão Nacional de Eleições).

Gastam-se fortunas com as empresas de sondagem, na tentativa de se perceber em quem se vota, ou em quem se pretende votar, qual a popularidade, sondagens á boca da urna, barómetros, … mas alguém (partido político), já parou para pensar, ouvir e tentar perceber o que as pessoas (eleitorado) querem verdadeiramente, quais as suas ambições, quais os seus anseios, expectativas, em que acreditam, o que esperam que venha a mudar, …

Os partidos políticos como qualquer marca/empresa, têm de concorrer pelos clientes (eleitores com +18 anos), ainda assim são só na actualidade 60% deles (+/- 5 Milhões e 700 mil), visto que os restantes 40% não tão nem aí.

Deveriam começar por perceber o que as pessoas pretendem, invistam nesse campo, estudem, inquiram, vão ás redes sociais (encontrei 220 resultados em pesquisa de Portugal, Interesse Geral – Política), perguntem na rua, … e depois adeqúem o seu discurso e ideologias políticas ao que as pessoas verdadeiramente querem e esperam. (Em Marketing chama-se entendimento do consumidor).

Entrem em discurso directo com as pessoas, os deputados eleitos estejam dispostos a ouvir quem os nomeou, os autarcas responsáveis pelas freguesias, concelhos criem dias, horas de atendimento directo á populações. (em Mkt Serviço ao Cliente).

Comuniquem de forma eficaz, não contradizendo o seu discurso de ano para ano, eleição para eleição, parece que quando estão no governo dizem uma coisa, passam a oposição dizem outra.

O problema é que a maioria dos políticos faz exactamente o contrário, fruto de heranças mais ou menos antigas, ou tentativas frustradas de renovação de ideias têm nos seus manifestos e princípios básicos ideais e ideias perfeitamente desajustados, ou mesmo que certos não postos em prática. Esperam que as pessoas, eleitores os sigam cegamente e pensem e ajam como eles. (Ai da marca que não ouça os seus clientes, morre).

Não sendo militante, nem afiliado de nenhum partido político, continuo e continuarei dentro dos 40% que vão votar, na esperança que isto possa mudar e dar a volta, parece utopia falar e ser treinador de bancada e depois não fazer nada, mas acho que se entrasse para a política não me aguentava muito por lá (com tanta contradição e jogos de interesse), além de que acho que a política seja das artes mais nobres quando exercida de forma correcta (os interesses comuns acima de interesses particulares, o bem colectivo).

Valeria a pena políticos, governantes, pararem um pouco para pensarem e analisarem profundamente o quão estão afastados da realidade, e para que abismo estamos a caminhar.

Bookmark and Share

Anúncios

Acções

Information

One response

11 03 2010
Paulo Lopes

De facto, andamos à volta do “Marketing” político, completamente obsoleto no que toca ao poder central; no entanto, à semelhança de outros fenómenos positivos, como “oposição construtiva”, existe bom Marketing e boa procura das necessidades dos eleitores (ou “entendimento do consumidor)… ao nível das Autarquias, ou seja, no poder local. Pena é que estes fenómenos se percam no poder central, dando lugar aos jogos de espelhos e cortinas de fumo, cada vez mais evidentes

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




%d bloggers like this: